Acolhe Ceará

27 de fevereiro de 2012 - 17:08

Acolhe Ceará

O Acolhe Ceará caracteriza-se como uma estratégia de monitoramento e avaliação do acolhimento e tratamento de pessoas encaminhadas pela RAPS que sofrem com o uso problemático de drogas. O Acolhe Ceará realiza a regulação das vagas conveniadas com entidades que prestam serviços de atenção em regime de acolhimento voluntário. As Comunidades Terapêuticas (CTs) oferecem cuidado para adultos e adolescentes com necessidades decorrentes do uso de álcool, crack e outras drogas no âmbito do Estado do Ceará. As vagas nas CTs são conveniadas com o governo do Estado e com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).

Comunidade Terapêutica (CT)

É um local dedicado a acolher pessoas, em caráter Voluntário, com problemas relacionados ao uso nocivo ou dependência de substância psicoativa, álcool e outras drogas. Os encaminhamentos são realizados pela RAPS para qualquer pessoa que apresente o desejo de se recuperar e que tenha condições de saúde que permitam o seu acolhimento em comunidade terapêutica.

Para conseguir o acolhimento, inicialmente, a pessoa deve se dirigir a um serviço de Rede de Atenção Psicossocial (Caps, Unidade Básica de Saúde da Família, Hospital, etc.) para realizar uma avaliação diagnóstica e receber o encaminhamento. Outra alternativa é o atendimento realizado pelo Centro de Referência sobre Drogas (CRD), que acolhe pessoas e seus familiares com necessidades relacionadas ao tema drogas.

A SPD oferta um serviço de escuta qualificada, através do número 0800 275 1475, onde um profissional da área irá realizar o atendimento, esclarecendo dúvidas e oferecendo orientações.

O tempo de tratamento ideal vai de 6 a 9 meses, de acordo com a situação de cada pessoa. Nesse período, são realizadas atividades recreativas voltadas à espiritualidade e autocuidado, entre outras ações que favoreçam a construção de vínculos através da convivência com pares. Também realizam-se cursos de qualificação profissional, ampliando as oportunidades para melhoria da autoestima e obtenção de emprego e renda.

As vagas autorizadas pelo Sistema Acolhe Ceará são custeadas com recursos públicos. Assim, não deverá haver custo algum para o acolhido. Na CT, o acolhido recebe alimentação e material de higiene. Caso receba algum benefício social (Bolsa Família, licença ou aposentadoria), este dinheiro não deverá ser repassado à Comunidade Terapêutica.

Os direitos do acolhido dentro de uma Comunidade Terapêutica são:

– Ser tratado com respeito e sem qualquer discriminação relacionada a sexo, religião, situação financeira ou histórias passadas;
– Possuir privacidade no uso de objetos pessoais, conforme às regras de convivência;
– Participar das atividades recreativas, culturais, educacionais e de capacitação;
– Ter o sigilo do acolhimento mantido para a sociedade em geral;
– Receber visitas da família e ter direito à comunicação durante o período de acolhimento;
– Receber transporte para a realização de atendimento de saúde em casos de emergência ou acompanhamento de tratamento;
– Interromper o acolhimento a qualquer momento;
– Ter atendimento individualizado prestado por profissional da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas, quando necessário.

O acolhido possui deveres dentro da Comunidade terapêutica, que são:

– Respeitar todos os que estão na comunidade;
– Acatar normas e rotinas definidas no regimento da Comunidade Terapêutica;
– Desenvolver atividades necessárias para sua recuperação, previstas no Plano de Acolhimento Singular (recreativas, espiritualidade, cuidados pessoais e de locais de uso, aprendizagem e capacitação).

Caso o acolhido sinta-se prejudicado, há duas formas de obter ajuda:

– Através da Ouvidoria do Estado (Fone:155 e/ou ouvidoria@spd.ce.gov.br)
– Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (0800 275 1475)

SisAcolhe

O SISAcolhe é um sistema de informação que viabiliza o registro de ações e a unificação de dados, dentre eles, o cadastro único dos usuários beneficiados pelos diversos programas e projetos da SPD, sendo a biometria a forma para cadastro e acompanhamento do usuário.
O SISAcolhe é utilizado por profissionais da RAPS, Hospital Professor Frota Pinto (antigo Hospital de Saúde Mental de Messejana), comunidades terapêuticas contratadas pela SPD e/ou Senad.

Neste sistema são registrados:

– Dados do teleatendimento e atendimento presencial do CRD, além de informações sobre encaminhamentos e monitoramento da demanda;
– Regulação de vagas conveniadas/contratadas em CTs;
– Informações sobre admissão, acompanhamento e alta dos usuários em CTs;
– Dados unificados dos usuários beneficiados pelos programas e projetos de reinserção social da SPD e parceiros;
– Agrega informações sobre instituições que trabalham com usuários de drogas e projetos.

Quanto à sua implantação, verificamos que o sistema de informações tem otimizado a regulação de vagas, o que pode ser notado na maior agilidade nos controles diários de acolhimento.

O sistema foi implantado em CTs e, também, em outros pontos da RAPS (CAPS, Hospital Professor Frota Pinto e CRD) para qualificar o processo de encaminhamento destes pacientes.