Cipod aborda redução de danos

9 de agosto de 2017 - 18:50

Segunda reunião itinerante aconteceu na OAB-CE

Uma ampla discussão sobre a redução de danos para usuários de drogas marcou a segunda reunião itinerante do Conselho Interinstitucional de Políticas Públicas sobre Drogas (Cipod). A chamada RD constitui-se numa abordagem ao fenômeno das drogas que visa minimizar danos sociais e à saúde associados ao uso de substâncias psicoativas.

Coordenado pelo secretário Especial Adjunto de Políticas sobre Drogas, Cláudio Saraiva, o encontro do Cipod foi realizado na manhã desta quarta-feira, 9, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE), no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza.

A abordagem da redução da danos foi iniciada após apresentação sobre o tema realizada pela conselheira Mayrá Lobato. A representante do Conselho Regional de Psicologia no Cipod fez um histórico sobre a RD no mundo e a sua introdução no Brasil, a partir de 1989, em Santos-SP.

cipod agostoMayrá Lobato apresentou os princípios básicos da redução de danos, apontando-a como uma alternativa efetiva de saúde pública para os modelos moral-criminal e de doença, incidindo sobre as condições de acesso à droga e as maneiras de realizar o consumo.

A psicóloga explicou que a RD reconhece a abstinência de drogas como resultado ideal. Contudo, aceita alternativas que reduzam os danos. Por outro lado, a minimização dos danos é avaliada como um passo para alcançar outras metas na busca da recuperação.

De acordo com Mayrá Lobato, na avaliação dos apoiadores, a RD leva o usuário de drogas à adoção de práticas menos danosas a si próprio, familiares, amigos e à comunidade em geral. Lembrou ainda que o apoio à RD não implica em ser conivente ou promover comportamentos relacionados ao uso de drogas, mas em flexibilização, mediação e conciliação no trato com os usuários.

O conselheiro Nelson Massambani, representante das entidades religiosas no Cipod, destacou a importância do acolhimento dos usuários em uso de substância, um dos princípios da RD, enquanto a conselheira Maria Cremilda (Cosens) ressaltou o papel dos profissionais da Saúde nesse tipo de abordagem.

cipod agosto2A coordenadora de Políticas sobre Drogas da SPD, Alessandra Pimentel, aproveitou para mencionar o Corre Pra Vida. O projeto da SPD atua com profissionais interdisciplinares e redutores de danos, realizando abordagem e acolhimento de pessoas em situação de rua ou em outros contextos de vulnerabilidade social que fazem uso de drogas. O objetivo é reduzir os danos causados pela dependência química e promover direitos e a inserção nas políticas públicas de saúde.

Saudação

Um momento especial na reunião foi a saudação aos conselheiros por parte do presidente e pela vice-presidente da OAB-CE, Marcelo Mota e Roberta Vasques, respectivamente. Eles agradeceram pela oportunidade proporcionada à Ordem de sediar um encontro do Cipod e pediram o apoio dos membros do Conselho em prol do acesso irrestrito à Justiça no Ceará.

Outro tema também abordado na reunião foi o funcionamento irregular de comunidades terapêuticas no Ceará, inclusive com registro no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) como clínicas, sem passar por avaliação que comprove o preenchimento dos requisitos obrigatórios.

O secretário Adjunto da SPD, Cláudio Saraiva, enfatizou a riqueza das discussões durante o encontro desta quarta-feira em prol do aprimoramento das políticas sobre drogas no Estado. A próxima reunião do Cipod ocorrerá na sede da SPD, no dia 13 de setembro próximo.

Fernando Brito
Assessoria de Comunicação da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD)
(85) 3238.5090 / 999120.3443 – comunicacao@spd.ce.gov.br / fernando.brito@spd.ce.gov.br

www.spd.ce.gov.br
Facebook: spdceara
Twitter: @spdceara