O doce perfume do recomeço

13 de outubro de 2017 - 12:57

Acolhidas na CT Lar das Marias vislumbram a retomada da vida em sociedade graças ao aprendizado da profissão de artesã

“A conclusão do curso é a maior prova de que a gente tem capacidade de fazer algo mais. A gente pode superar a dependência química e ser uma mulher de verdade”, afirmou Islânia Simeão. A jovem integra o grupo de 25 mulheres acolhidas na Comunidade Terapêutica (CT) Lar das Marias (ONG Maria Bonita), em Maracanaú, que concluíram, com êxito e sem faltas, o curso profisssionalizante de confecção de embalagens em madeira e sabonete artesanal. Agora, capacitadas para o mercado de trabalho como artesãs e com o certificado em mão, enxergam um futuro promissor pela frente ao encerrarem o tratamento.

Islânia Simeão, Dalvani de Oliveira, Ana Lúcia, Roberta Farias, Francisca Maria, Patrícia Pires, Francisca Roseane, Daniele Andrade, Cáudia Cardoso, Maria Lúcia, Ana Lúcia, Maria Nilde, Sandra Cristina, Vladiane Soares e Régia Maria são algumas das concludentes. As idades variam de 20 a 56 anos. Até então, nenhuma deles tinha sequer um certificado. Viviam de “bicos” ou faziam serviços domésticos.

O envolvimento das acolhidas com as drogas ocorreu por motivos variados. Elas preferem nem lembrar como tudo começou. Mas, recordam que a vida perdeu o significado. Muito do pouco que tinham foi perdido para a droga. Mas, elas tiveram força para buscar a recuperação. Na CT Lar das Marias, estão próximas de retomar o convívio em sociedade e observam no curso a porta para o recomeço, para a retomada de vida normal, longe das drogas. “Pra mim, o curso foi uma dádiva. Agora, tenho uma profissão e vou viver do artesanato. Terei uma nova vida”, ressalta a acolhida Régia Maria, 56 anos, a veterana do grupo de concludentes.

A singela solenidade de entrega dos certificados aconteceu na tarde da quarta-feira, 11, na sede da CT Lar das Marias, com direito a exposição de trabalhos produzidos no decorrer do curso e o recebimento de kits com os produtos artesanais de beleza que as concludentes prepararam. A emoção aflorou em sorrisos. O doce perfume do recomeço tomou conta do ambiente. Para as concludentes, o momento foi de plena alegria. Em coro, elas cantaram a música “Restitui”, que diz em sua letra: “Eu quero de volta o que é meu”. “Nossa vida, com dignidade, está sendo devolvida”, avaliou a acolhida Ana Cláudia.

“A gente tá transformando a dor em amor aqui na comunidade. A conclusão do curso prova que o amor e a nossa determinação estão vencendo. Vamos ficar livres do vício das drogas e ter uma vida nova. O certificado vai ajudar bastante a gente a conseguir um emprego digno ou até trabalhar por conta própria”, disse a concludente Dalvani de Oliveira. 

1507904858ba701351e7a35edf826b2138788ab8ecA secretária Especial de Políticas sobre Dropas, Aline Bezerra Câncio, fez questão de prestigiar a entrega dos certificados. A gestora conversou com cada uma das concludentes e demonstrou satisfação pela receptividade das mulheres à capacitação oferecida pela SPD em parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) do Governo do Estado no âmbito do Projeto Criando Oportunidades. A ação é voltada para a reinserção social e profissional de dependentes químicos em tratamento em CTs no Estado, através da oferta de cursos profissionalizantes gratuitos. A titular da SPD destacou a integração com a STDS e prometeu novos cursos de qualificação nas CTs.

A secretária Aline Bezerra Câncio esteve acompanhada da coordenadora de Políticas sobre Drogas da SPD, Alessandra Pimentel. A STDS foi representada pelas técnicas Lilian Louvier, Simone Caracas e Jéssica Marques. Também prestigiaram a solenidade, o diretor da ONG Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Indesa), Fran Holanda; a professora Dina Holanda e a coordenadora da CT Lar das Marias, Elizete Damasceno.

A parceria da SPD com a STDS para a oferta de cursos profissionalizantes em CTs beneficiará, até o final de 2017, cerca de 180 acolhidos – homens e mulheres – em oito comunidades que prestam serviço à Secretaria. Foram priorizados ofícios que hoje apresenta uma maior demanda por mão de obra especializada. A execução das atividades é acompanhada e supervisionada pela Coordenadoria de Políticas sobre Drogas (Copod) da SPD.

Fernando Brito
Assessoria de Comunicação da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD)
(85) 3238.5090 / 99910.3443 – comunicacao@spd.ce.gov.br / fernando.brito@spd.ce.gov.br

www.spd.ce.gov.br
Facebook: spdceara
Twitter: @spdceara